Por que um animalzinho pode fazer bem no ambiente de trabalho e ajudar funcionários a serem melhores

Publicado por PUBLICAÇÃO I Site G1

Por que um animalzinho pode fazer bem no ambiente de trabalho e ajudar funcionários a serem melhores?
Site G1

Já dizia a sabedoria popular que gente feliz trabalha mais e melhor, certo? Nós humanos só não sabíamos ainda que os animais de estimação poderiam ajudar neste processo. Faz todo o sentido, já que os peludos são responsáveis por alegrar as casas de muitas pessoas, e uma pesquisa realizada pela universidade Virginia Commonwealth University, nos Estados Unidos, conseguiu comprovar que ter pets também em ambientes de trabalho alivia o estresse dos tutores e dos colegas que acabam convivendo com os filhinhos de quatro patas.


O estudo foi realizado no estado da Carolina do Norte e divulgado em setembro deste ano. Os pesquisadores descobriram que os níveis de cortisol na saliva dos funcionários foram menores em dias em que bichinhos de estimação fizeram parte da rotina deles. O hormônio é relacionado ao estresse que o corpo humano apresenta, e a diminuição significa que os trabalhadores ficaram mais tranquilos nos “dias animais”. A pesquisa ainda revela que os próprios trabalhadores relataram que se sentiram melhor e interagiram mais entre si.


A comprovação de que a presença dos peludos faz bem ao corpo humano de maneira fisiológica veio recentemente, mas há pessoas que sentem na pele os benefícios há muito tempo. Este é o caso da empresária Silvia Leal, de Montes Claros. Ela tem uma agência de publicidade que atende toda a região do Norte de Minas. Com ela trabalham alguns colegas, mas quer saber quem é eleito há algum tempo como o funcionário do ano por unanimidade? O amiguinho de quatro patas, Snoopy.


“Com certeza é meu melhor funcionário e amigo. Ele vai completar quatro anos em novembro e desde que meu marido o comprou, eu ficava com pena de deixá-lo sozinho e o trazia para a agência. No início, ele vinha e voltava comigo todos os dias, e acabou se acostumando. Hoje ele vive na agência, faz parte dela e da rotina que temos”, conta a empresária.


Segundo Sílvia, um dos pré-requisitos para que um publicitário seja contratado pela agência é que seja “pet friendly”, ou seja, precisa gostar de animais. “As pessoas pensam que é brincadeira, mas é sério. Tem que ser assim, porque o Snoopy brinca com os meninos que trabalham comigo, às vezes eles tão criando alguma peça, ele encosta o focinho, quer atenção, tem toda uma interação conosco. Até das reuniões ele quer participar, quando ele percebe que vamos nos reunir e vamos fechar a porta, ele já chega com o focinho para não ficar de fora”, lembra.


Sobre a convivência com os funcionários e clientes que vão à agência, Sílvia conta que o Snoopy adora. Segundo ela, às vezes ele late para alguém, mas logo se acalma e fica normal. “É normal latir às vezes, né? Mas rapidamente ele fica tranquilo. Se a gente percebe que a pessoa tem medo, ou não gosta muito, a gente deixa ele em outro ambiente para não constranger, é claro”, diz.


A publicitária afirma que o ambiente de trabalho que tem é mais leve por conta do Snoopy e que ele é um ponto de interação e união entre os funcionários. “Ele senta no sofá com os meninos, tem o momento com o pet mesmo. Tem muito carinho, tem a paixão que proporciona o relaxamento, de desligar do estresse do dia a dia. Assim todo mundo preocupa, quer cuidar, distrai, vira parte da rotina. Às vezes a gente almoça, ele fica sentado do lado esperando, ou arrasta a cama para deitar ao lado da reunião, sabemos que, assim como a gente, ele se sente parte”, relembra a empresária.


Cuidados com os 'pets business'
Claro que submeter os animais a ambientes de trabalho, em que entram e saem muitas pessoas todos os dias, exige cuidados dos tutores. Os animais precisam de cuidados, carinho, comida, água e ambientes agradáveis, assim como em qualquer casa onde vivem. Para a veterinária Júlia Borém, as necessidades dos bichinhos não mudam, portanto a atenção que os amiguinhos devem ter também não.


“Os cuidados são basicamente os mesmos que qualquer proprietário deve ter dentro de casa, com o bem-estar do animal. O que significa cuidar da alimentação, lazer, carinho, necessidades básicas e exercício físico”, afirma.


Borém explica ainda que a vacinação e vermifugação devem estar em dia. “Precisa estar vacinado, vermifugado, e estes cuidados devem ser de acordo com cada ambiente em que o animal vive. Animal de apartamento tem vermifugação diferente dos que vivem em fazendas”, explica.


A veterinária ainda argumenta que o conforto dos bichinhos deve estar em primeiro lugar na lista de obrigações dos tutores antes de pensar em levá-los para o trabalho. “É preciso observar se eles estão confortáveis no trabalho, se estão passando por estresse, tem que ver se ele tem bom convívio com as pessoas, se o local está agradável. Além disso, tem o local para que eles façam as necessidades, tem que ser adequado para eles fazerem xixi e cocô, porque muitas vezes só ficam à vontade em espaços abertos, ou que sejam próximos a ralos, jornaizinhos, etc”, conclui.